-->

domingo, 26 de maio de 2013

O que eu sei

Já não sei onde estou
não sei o que falar
o que pensar.
Já não sei de onde vim
não sei o que fazer
o que sentir.
Já não sei nem para onde eu vou
não sei em que acreditar
em que confiar.
Nesse jogo de não saber
sei que estou.
Talvez seja a única coisa que eu sei.

quarta-feira, 6 de março de 2013




E quando tudo parece não fazer sentido
e o ar fresco sopra no teu rosto pata te fazer sentir que nada, sim... nada tens.
E o sonho de outrora se faz distante,
se vai para longe,
para mais perto do fim e isso se chegar a ser o fim.
Quando quem está nessa jornada contigo,
é... é sem conceito. Não é!
E teus amores são como estrelas que brilham bem longe de ti...
Quando as lagrimas não conseguem se conter diante da ilusão da vida
e correr atrás do vento é o que tudo tem se tornado.
São nesses momentos em que vemos onde chegamos e como chegamos...
ou para onde estamos indo ou... não!
Mas continuamos e seguimos na esperança de correr com a doce brisa
e assim poder encontras um refugio no alto.

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

O ato de regar minhas plantinhas.


Já faz um tempo que eu comprei uma plantinha, dessas pequenininhas que serve de enfeite, uma espécie de cactos e a senhora a qual me vendeu o cacto me recomendou molhar só duas vezes por semana e ok! Foi o que fiz...
mas durante o passar do tempo fui vendo que a pequena plantinha já não tinha tanta vida e que aos poucos foi murchando, secando ate que morreu.
e eu fiquei pensando... Uma planta que não é regada não cresce, não vive.
da mesma forma me atrevo a dizer que acontece o mesmo com os relacionamentos, seja ele qual for... Amizade, entre família, namorado... Não importa! Todo relacionamento tem que ser alimentado, regado para que ele possa crescer, viver, dar frutos... Ao contrario disso, lamento! Mas ele morrerá!
E como hoje tive um dia dos mais pensativos… cheios de lembranças de tempos que já não voltam, momentos que fazem muito tempo e outros que nem tem tanto tempo assim, mas que já é o suficiente para deixar aquele gostinho de saudade.
estive lembrando da família, amigos, colegas, companheiros, paqueras, vizinhos, conhecidos... Pessoas que hoje já não as tenho nas mãos, que foram eternizadas em memorias que por minutos se fazem muito real.
confesso que dentre tanta gente que já recorreu minha vida muitas eu não as “reguei”, talvez por descuido, mas o certo é que não as tenho como antes... Outras se fazem presente sempre, mesmo quando sei que de tão distante elas se “teletransportam” e me trazem o suave perfume de suas flores. Algumas que chegaram á alguns dias e estão por perto querendo criar raízes e é impossível não ver as que são como um cacto que nasce no sertão, que mesmo sem ser regada consegue guardar a agua que um dia lhe foi dada e sobreviver. Enfim! A vida é cheia de surpresas... Um dia vamos e em outro voltamos e sempre teremos a necessidade de nos relacionar e não podemos nos esquecer de regar as nossas “plantinhas” e que eu sou eternamente responsável por tudo aquilo que cativo.



quinta-feira, 16 de agosto de 2012


Quando faltam as palavras e o choro se prende na garganta deixando os olhos úmidos com algumas tímidas lagrimas que não querem ser tiradas no chão. Quando o coração vai se apertando a cada passo dado e na memoria, vem sem medo algum todos os momentos vividos, os simples e doces momentos e nos falta...
nos falta o ar, nos falta o chão, parecendo que cada momento vai caindo em meio ao vão e os sonhos ficam presos no pesado sono, não alcançando acompanhar essa alma que quer voar
é nessa hora quando falta a coragem de seguir adiante
e... acabou. 

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Bonito! Bonito é ser aquilo que acreditamos.
Sem disfarces, sem mascaras... Sem reservas.
é seguir naquilo que cremos, que temos como bandeira, que defendemos com unha e dente, mesmo quando esse estilo de viver, de ver o mundo não seja tão coerente com o que é pregado por uma grande multidão. lindo de se ver, de se observar, é notar alguém que luta naquilo que lhe é dado a luz; Que tudo que faz, faz com paixão, faz por amor, por dedicação... Que não se importa com algumas meras bobadas que sempre vão ser faladas por muitos; que faz dessa crença sua devoção, seu estilo de vida, sua adoração. Lindo! Isso é lindo! Triste! Triste é ver aqueles que são mornos, cinzas... Que são mais ou menos, nem lá... Nem aqui. Isso sim é péssimo. Uma vida que brilha pela falta de paixão...  Uma vidinha em sal, sem tempero, sem cor... Na qual falta a vontade de vibrar, de lutar por uma meta, por aquilo que se diz crer. Sem graça, não?! Não contagia. e no hoje, eu me pergunto... Queremos brilhar pela abundancia de paixão, trasborda em nossas vidas e contagia, ou pela falta de paixão que faz ser tudo monótono, parado?! 

terça-feira, 31 de julho de 2012

Um turbilhão de mudanças, um mar de tudo novo… de novo.
desapegando, desconceituando, descongelando... Des... Des... E mais alguns “des” para poder conhecer o que há de novo, para romper com o misticismo de ideias que algum dia foram impostas por alguém ou alguéns que nem permissão pediram.
desapegando daquele conceito de “isso sim é certo” ou “isso sim é um mal mortal”. Desconstruindo tantos paradigmas que com o tempo foram se concretizando, sendo solidificados com a ajuda do ar que sufoca, de um sol que queima e de uma agua que aliena.
agora sim, é preciso aquela velha faxina para me sentir limpa, mas não um “limpa” que todos estão acostumados a pregar, a venerar a tão necessita limpeza para aqueles sujos de alma, corpo e espirito, mas sim um limpa de conceitos alienados cheios de si, de considerações que de importância já não tem.
uma limpeza que me faz livre desse fardo tão pesado e desse julgo que esqueceu o que é ser suave.
e como todo processo de desapego é duro e precisa de garra, de força... Esse não vai ser diferente, ou melhor, VAI SER MUITO MAIS DIFERENTE!
Vai ser preciso mais garra, mais vontade de ser livre. Pois agora não é um desapego de pessoas, de algo físico, mas sim de conceitos e ideias que voam sobre minha cabeça procurando o ninho que uma vez foi feito e que hoje de pouquinho vou desconstruindo.  Como o meu manual de instrução para vida diz... “conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” e é isso que eu tenho buscado! A veracidade de ser liberto... De ser realmente livre de qualquer outra verdade cheia de “mentirisses”.
De lugar distinto
nunca antes visto.
de modos distintos
nunca antes sentido.
de beleza rara
nunca antes percebida.
de voz grossa
nunca antes ouvida .
de tal amor
nunca antes imaginado.
ultimamente me fazendo feliz
por me fazer ser desse lugar distante.
por me ensinar modos distintos.
por me encantar com sua beleza rara.
por me envolver com essa tua grossa voz.
por, sem graça me deixar com esse seu cuidado, carinho, atenção...
recheado de amor, desse amor nunca entendido.